Notícias

Nos EUA, prossegue a corrida às armas. NICS de maio é recorde para o mês e para o período

Data:02/06/2021

 

 

 

*LRCA Defense Consulting - 02/06/2021

A grande procura por armas nos Estados Unidos prossegue firme, como mostra o número do NICS - National Instant Criminal Background System Checks referentes a maio de 2021, hoje divulgado.

Com ele, é possível verificar que os números de maio e do período de cinco meses de 2021 são recordes absolutos para ambos, considerando-se toda a série histórica iniciada em 1998.

Foram 3.222.105 em maio de 2021, contra 3.091.455 no mesmo mês de 2020, significando um acréscimo percentual de 4,22%. Em cinco meses, já foram realizadas 48,33% de todas as verificações de 2020, o que indica uma tendência de o ano de 2021 apresentar também um recorde histórico.

As verificações de antecedentes não se correlacionam necessariamente com as vendas de armas, que não são monitoradas oficialmente nos Estados Unidos, mas se constituem no melhor indicador existente para poder estimá-las.

Como se pode constatar, as vendas de armas, que aumentaram drasticamente durante os primeiros meses da pandemia do coronavírus, continuaram a aumentar nos Estados Unidos, com os compradores de primeira viagem representando mais de um quinto dos americanos que compraram armas.

O desenvolvimento irá frustrar e desapontar os defensores do controle de armas que apontam o grande número de armas de fogo já circulando na sociedade americana.

Um estudo da General Social Survey, com dados de uma pesquisa de opinião pública conduzida por um centro de pesquisa da Universidade de Chicago, mostrou que 39% das famílias americanas possuem armas, contra 32% em 2016.

Um outro estudo de dados, compilado pela Northeastern University e pelo Harvard Injury Control Research Center e divulgado pelo New York Times, mostra que 6,5% dos adultos norte-americanos, ou 17 milhões de pessoas, compraram armas no ano passado, ante 5,3% em 2019.

Destes, quase um quinto que comprou armas no ano passado eram proprietários de armas pela primeira vez, dos quais metade eram mulheres, um quinto eram negros e um quinto eram hispânicos, desafiando o estereótipo de são os proprietários brancos de armas que constroem arsenais pessoais. Em 2021, os proprietários de armas em geral eram 63% homens, 73% eram brancos, 10% eram negros e 12% hispânicos.

Separadamente, o The Trace, um grupo apartidário que monitora as vendas de armas, estima que 2,3 milhões de armas foram compradas apenas em janeiro. As vendas, que permaneceram praticamente estáveis ​​durante a presidência de Trump, saltaram 64% em 2020, disse o grupo.

“Os americanos estão em uma corrida armamentista contra si mesmos”, disse o representante do conselho municipal de South Los Angeles, Marqueece Harris-Dawson, ao New York Times . “Houve uma corrida às armas tanto quanto ao papel higiênico no início da pandemia.”

O aumento das vendas de armas ocorre no momento em que, em maio, o Texas se tornou o 20º estado a aprovar uma legislação que não exige mais uma licença para porte velado de arma. 

*Com informações do The Guardian.

 

Fonte: https://www.lrcadefenseconsulting.com



Avenida São Borja, n° 2181 - Prédio A - Fazenda São Borja - CEP: 93035-411
São Leopoldo - RS - Brasil
VER MAPA